Tecnologia no transporte ferroviário de carga

Greenbrier Maxion, empresa com mais de 77 anos de atuação no setor, desenvolve e produz soluções inovadoras para o desenvolvimento do transporte de carga sobre trilhos

Durante anos o minério de ferro foi o protagonista no cenário das commodities transportadas pelas ferrovias no Brasil. Há alguns anos, no entanto, houve a diversificação dos tipos de carga transportas, como: contêineres, soja, açúcar, carvão mineral, grãos, milho, farelo de soja, fertilizantes, óleo diesel, celulose e produtos siderúrgicos. Atenta a estas mudanças e ao dinamismo do segmento ferroviário, a Greenbrier Maxion desenvolve e produz todos os tipos de vagões, através de linhas de montagem simultâneas com processos robotizados, robustos e de precisão.

A empresa, que tem um portifólio de mais de 30 modelos, desenvolve e produz vagões de carga mais eficientes e produtivos para atender cada vez mais e melhor o mercado, alavancando o transporte ferroviário de carga e a logística no Brasil. Através de uma engenharia avançada, produz vagões com projetos customizados atendendo as necessidades de cada cliente, de acordo com a carga a ser transportada e características de cada ferrovia. Com tecnologia diferenciada, os vagões possuem tara reduzida, maior capacidade de carga, maior eficiência energética, confiabilidade, facilidade nas operações de carga e descarga e na sua manutenção, gerando com isso uma redução do custo logístico.

O desenvolvimento mais recente é o vagão total sider FTT para transporte de celulose, que já está em operação desde fevereiro.  O novo modelo traz várias vantagens em relação aos modelos antigos, tais como: redução da tara do vagão, aumento significativo na capacidade de carga por trem e por vagão, além de melhor ergonomia na operação e aprimoramento da estanqueidade, evitando perda da carga com a entrada de água durante o período de chuvas.  Outro destaque é a maior facilidade no carregamento e descarregamento, que pode ser feito tanto por empilhadeiras quanto por ponte rolante.

Na linha de vagões hoppers, utilizado para o transporte de grãos, açúcar, milho, soja, farelo, fertilizantes, entre outros, o diferencial conta com a tecnologia de carga e descarga automatizadas, que possibilita o acionamento das tampas de carga através de um sistema pneumático. O exemplo mais recente é o vagão hopper HTT para transporte de grãos, desenvolvido com base nas medições dos esforços que ocorrem durante a operação nos principais corredores de grãos e açúcar. Sua estrutura foi otimizada considerando diferentes configurações de trens incluindo desenhos operacionais mais rígidos. Isso resultou numa tara reduzida mesmo com um projeto mais robusto. A nova geração de vagões graneleiros GBMX, além das vantagens com o sistema de carga e descarga, possui melhorias estruturais, aumento de capacidade de carga e eficiência energética.

As famílias de vagões incluem ainda mais 3 tipos: os gôndolas para o transporte de minério de ferro, com destaque para o vagão GDU, de maior capacidade de transporte produzido pela empresa e o primeiro direcionado ao mercado brasileiro; os vagões Plataforma para atender cargas siderúrgicas e contêineres alinhados ou empilhados. Para os contêineres empilhados, a Greenbrier Maxion desenvolveu e produziu o vagão double stack, com possibilidade de operar nas ferrovias com contêineres de 20 e 40 pés, otimizando a capacidade de transporte dos trens de carga em 40%. Além dessa configuração, o modelo permite também que sejam carregados contêineres de 53 pés na parte superior (sobre dois contêineres de 20 pés ou sobre um contêiner de 40 pés); e os vagões Tanque, para transporte de derivados do petróleo, cimento e ácido sulfúricos, entre outros, com maior capacidade volumétrica e menor tara, além de sistemas que agilizam a descarga são as inovações tecnológicas, com destaque para o vagão TCT, o maior tanque do mundo com 118 mil litros, desenvolvido com estrutura autoportante.

Outro grande diferencial dos vagões GBMX é o truque tipo Motion Control® – Truques Premium, desenvolvido especificamente para as condições operacionais e de via permanente das ferrovias brasileiras, proporcionando, através da otimização do comportamento dinâmico do vagão, um aumento significativo da segurança operacional e vida útil dos componentes, além da redução no custo de manutenção.

A Greenbrier Maxion, complementando todo o seu pacote de soluções, possui também uma linha especializada em serviços ferroviários. Instalada em um galpão dedicado, a linha de serviços recebe vagões que necessitam de revisão, manutenção, reforma e transformação. Com isso, as operadoras fiquem livres de preocupações e custos elevados referentes à manutenção, concentrando esforços no foco real de seu negócio. Os serviços são personalizados e pensados para as necessidades específicas de cada cliente, e podem ser realizados de forma modular ou sistêmico, tanto na planta da Greenbrier Maxion quanto nas instalações dos clientes.

Sobre a Greenbrier Maxion – Nascida a partir da FNV (Fábrica Nacional de Vagões), a Greenbrier Maxion atualmente é formada pela união das empresas norte-americanas Amsted Rail Inc. e The Greenbrier Companies, além da brasileira Iochpe-Maxion. Localizada em Hortolândia – SP, possui mais de 77 anos de atuação no mercado ferroviário, sendo considerada a maior operação ferroviária da América do Sul. Possui capacidade de produção acessível e eficiente, com expertise em projetos de vagões de carga, truques, serviços de reforma, adaptação e modernização de vagões e seus componentes. Saiba mais sobre a Greenbrier Maxion em www.gbmx.com.br.

Fonte: Assessoria de Imprensa Greenbrier Maxion

Compartilhe nas Redes Sociais:

©2021 | GBMX Criando Caminhos | Todos os direitos reservados